Postagem em destaque

STF não pode e nem deve soltar Lula por zaps de Moro

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, encaminhou nesta sexta-feira (21) uma manifestação ao Supremo Tribunal Federal (STF) na ...

Gilmar é acusado de que já sabia dos Vazamentos desde dezembro, ano passado (vídeo)





O jornalista José Nêumanne Pinto - figura extremamente respeitada, editorialista e articulista do jornal Estadão, autor de 12 livros, Prêmio Esso do jornalismo brasileiro – tido como um profissional sério e corajoso, além de profundo conhecedor da política nacional, publicou um vídeo bombástico nesta terça-feira (25), em seu canal no YouTube. 

Para o jornalista, Gilmar tinha conhecimento prévio sobre os vazamentos criminosos do jornalista Glenn Greenwald.


Assista o vídeo; 



Moro tem razão  "a montanha pariu um rato"

Moro tem razão "a montanha pariu um rato"



O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve adiado o sonho de liberdade. Ele vai continuar preso na cela da Polícia Federal de Curitiba, segundo decisão tomada na noite desta terça-feira, 25, pelo Supremo Tribunal Federal. O placar foi de 3 a 2.

Os ministros da Segunda Turma votaram um pedido de habeas corpus que pedia a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro, que conduziu a Lava Jato e condenou o ex-presidente a uma pena de 12 anos e 1 mês de prisão no caso do triplex do Guarujá.


Logo no início da sessão, a 2ª Turma havia rejeitado um outro pedido de liberdade ao ex-presidente. Lula está preso desde 7 de abril do ano passado. Em abril, a pena foi reduzida pelo STJ para oito anos e 10 meses de prisão.

Na segunda, 24, o ministro Gilmar Mendes, que pediu vista do processo que trata da questão, solicitou adiamento do caso, mas, na sessão desta tarde, decidiu conceder liberdade a Lula até que o caso seja analisado. O pedido de liberdade liminar foi feito pelo advogado Cristiano Zanin, representante de Lula. Zanin argumentou que processos envolvendo réus presos e maiores de 70 anos têm prioridade na pauta de julgamentos.


Ao votar, Gilmar Mendes reafirmou que não há tempo na sessão para analisar profundamente a questão das supostas mensagens divulgadas pelo site The Intercept, envolvendo Moro e procuradores da Lava Jato.

Segundo o ministro, a defesa apresentou argumentos consistentes e Lula deve ficar em liberdade até o julgamento final do caso. “Desde o primeiro momento narram-se sete fatos complexos sobre imparcialidade do julgador. Por esse motivo, o julgamento de mérito não tinha como não ser adiado”, disse Gilmar Mendes. Ricardo Lewandowski também votou a favor da soltura de Lula.

Em seguida, o relator do caso, ministro Edson Fachin votou contra a concessão da liberdade e disse que o material divulgado pelo The Intercept não foi apresentado às autoridades. Celso de Mello e Cármen Lúcia seguiram o relator e também mantiveram a prisão.


A defesa argumentou que o habeas corpus foi protocolado em novembro de 2018 para que fosse reconhecida a suspeição do então juiz para processar e julgar o ex-presidente e, consequentemente, reconhecimento da nulidade de todos os atos praticados por ele na ação penal do tríplex, além de soltura do ex-presidente.

O argumento central da defesa é o fato de Moro ter aceitado convite para o cargo de ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Jair Bolsonaro. Quando foi impetrado no ano passado, a defesa não trazia em seus argumentos as supostas trocas de mensagens entre o então juiz e o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Lava Jato, no Paraná, divulgadas pelo site The Intercept Brasil. Na semana passada, os advogados pediram que os “fatos públicos e notórios” fossem levados em conta pelo STF.

Desde a publicação das supostas mensagens, o ministro Sergio Moro não reconhece a autenticidade dos diálogos e diz que as mensagens podem ter sido “editadas e manipuladas” por meio de ataques de hackers.

Golpe em andamento; Cármen Lúcia diz que não retirou HC que pode soltar lula " preso tem prioridade legal disse a ministra"





A ministra do STF, Cármen Lúcia, por meio de nota divulgada na noite desta segunda-feira, 24, deixou aberta a possibilidade de que o julgamento do habeas corpus (HC) da defesa do ex-presidente Lula seja mantido na pauta da Segunda Turma para esta terça-feira.

Segundo a ministra, “em todas as sessões, é dada preferência e a prioridade aos habeas corpus determinada pelo Ministro Relator ou pelo Ministro Vistor”. Ela disse ainda que “todo processo com paciente preso tem prioridade legal e regimental, especialmente quando já iniciado o julgamento, como nos casos de vista, independente da ordem divulgada.”


O ministro Edson Fachin é o relator do HC 164.493, que pede suspeição do ex-juiz e atual ministro da Justiça Sergio Moro no caso do tríplex.

Após a repercussão da notícia de que o julgamento do HC de Lula seria adiado, a ministra Cármen Lúcia divulgou a nota na qual explica que não tinha competência para excluir o item da pauta. Além disso, ainda de acordo com a magistrada, a divulgação da pauta não determina a ordem do chamamento dos processos durante a sessão.
Paulo Henrique Amorim é retirado oficialmente do Domingo Espetacular "por críticas a Bolsonaro?"

Paulo Henrique Amorim é retirado oficialmente do Domingo Espetacular "por críticas a Bolsonaro?"



Apresentador do “Domingo Espetacular”, da Record, há 14 anos ininterruptos, Paulo Henrique Amorim deixará a apresentação da revista eletrônica. Já no dia 30 de junho, o profissional não estará mais presente em um dos programas de maior prestígio da emissora dos bispos.

 A empresa anunciou uma reformulação na área do jornalismo e já mexeu em diversas cadeiras importantes dentro do canal. O veterano tem contrato garantido ainda até 2021.



Apesar do que foi informado pelos representantes da Record, Paulo Henrique Amorim pode ter sido afastado por um motivo mais complexo do que uma simples mudança na grade. De acordo com o Notícias da TV, o envolvimento do jornalista na política e suas críticas ferrenhas contra o governo de Jair Bolsonaro podem ter sido decisivos para que os diretores tomassem a decisão.

Participante do blog Conversa Afiada, o jornalista já se mostrou por diversas vezes a favor da esquerda, em um momento em que a polarização política estava cada vez mais evidente. Ele teve a cabeça pedida dentro da emissora, mas pesquisas feitas pela empresa revelaram que a participação do profissional no “Domingo Espetacular” era essencial para a credibilidade do programa.



Recentemente, houve um boato de que o general Augusto Heleno, ministro do Gabinete de Segurança Institucional pediu a prisão de Paulo Henrique Amorim, que fez uma piada em suas redes sociais sobre as escolhas de Jair Bolsonaro em relação ao futebol. O apresentador debochou do fato de o político ter mudado de time algumas vezes e escreveu que ele será Flamengo “até morrer… breve”. Isso foi o suficiente para que interpretassem que o veterano deseja a morte do presidente, mas isso tudo não passou de fake news.



Tudo indica que Eduardo Ribeiro, seu novo substituto, é uma das novas apostas da Record. Ele foi o primeiro jornalista a fazer uma entrevista exclusiva com o presidente logo após o resultado que o elegeu como autoridade máxima do Brasil. Assim como Paulo Henrique Amorim, Janine Borba também deixou o “Domingo Espetacular” em maio, pegando todos de surpresa.

TV toco



Clima esquenta entre Bolsonaro e Maia "A Câmara que vai decidir, é coisa interna deles" Maia quer barrar reeleição

Clima esquenta entre Bolsonaro e Maia "A Câmara que vai decidir, é coisa interna deles" Maia quer barrar reeleição






Porque Rodrigo Maia não quer que Bolsonaro dispute reeleição?"

O presidente da República, Jair Bolsonaro, criticou, no último sábado (22), indiretamente, a articulação de um grupo de parlamentares para apresentar uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que permita reeleições nas presidências da Câmara e do Senado, sem qualquer limitação.


Segundo o jornal Estadão, Bolsonaro falou sobre o assunto:

“Veja, por exemplo, a Câmara Municipal do Rio de Janeiro. O cara fica eternamente lá. Qualquer eleição de quem já tem mandato, ele [o candidato] já sai com a máquina na mão. Ele tem um orçamento grande lá dentro. Isso aí é um atrativo para ganhar simpatizantes.”


Bolsonaro afirmou, porém, que a decisão sobre permitir ou não reeleição cabe ao próprio parlamento:

“No meu entender, a Câmara que vai decidir, é coisa interna deles. Se eu fosse parlamentar, eu saberia como votar…”

Sem saída, por pressão popular, Gilmar adia julgamento e deixa lula preso




"Sem saída, por pressão popular, Gilmar adia julgamento e deixa lula preso"


A pressão popular tomou conta das redes sociais. a Hashtag #lulapreso é a maior desde o momento em que o ministro gilmar Mendes disse que poderia usar provas roubadas em um processo.

Segundo a Folha de S. Paulo, a presidente da Segunda Turma do STF, Cármen Lúcia, “colocou o caso (da suspeição de Sergio Moro) no último lugar da fila. Antes dele, 11 processos teriam que ser apreciados.


O ministro Gilmar Mendes concluiu que não haverá tempo de debater o caso de Moro. Só o voto dele tem mais de 40 páginas.

Mendes decidiu, então, indicar o adiamento da discussão. O caso deverá voltar à pauta no segundo semestre.”

Ao meu ver, o ministro Mendes, sentiu o peso da pressão popular. #lulapreso

Celso de Mello vai soltar lula, diz Estadão  "O recado dos Militares é pesado e duro"

Celso de Mello vai soltar lula, diz Estadão "O recado dos Militares é pesado e duro"





Celso de Mello, segundo o Estadão, vai inocentar Lula.

“Nos gabinetes, integrantes da Corte avaliam que o decano já sinalizou que pode acompanhar a divergência que deve ser aberta por Gilmar para tirar Lula da PF em Curitiba.”


A reportagem diz também que, “em momentos de crise, é o decano que costuma ser o ‘bombeiro’ do tribunal”.

Bem, o bombeiro pode incendiar o Brasil.

-Os militares não querem que Lula, o chefe da ORCRIM, seja inocentado pelo STF... Leia aqui

Folha publica material roubado de forma criminosa para atacar Sergio Moro





Carlos Fernando dos Santos Lima comentou a reportagem da Folha de S. Paulo, baseada em material criminoso, roubado à Lava Jato:

“A Folha de São Paulo erra ao publicar material apócrifo e de origem criminosa. O primeiro de seus erros foi dizer que A Interceptadora recebeu de fonte anônima, enquanto está claro que este site conhece e protege a Fonte. Assim, nenhum jornal sério iria trabalhar no material sem que a fonte fosse compartilhada.



Além disso, ‘atestar’ a integridade do material com o argumento de que as mensagens de seus jornalistas ali estavam é no mínimo ingênua, pois não há dúvida da existência de um crime de hackeamento e que potencialmente parte do material tenha essa origem.



O fato de ter sido repassado para terceiro não muda a origem criminosa, nem a dúvida sobre a integridade dos fatos ou sequer o claro interesse de desestabilizar Moro e soltar Lula.”

-Parece que a Folha precisa urgentemente do criminoso "lula" no poder.

Moro ironiza Folha e Intercept em latim e diz que a montanha pariu um rato

O ministro da Justiça, Sérgio Moro, usou uma frase em latim “Um pouco de cultura. Do latim, direto de Horácio, parturiunt montes, nascetur ridiculus mus”, postou no Twitter

"A montanha pariu um rato"




Veja agora; 


STF não pode e nem deve soltar Lula por zaps de Moro

STF não pode e nem deve soltar Lula por zaps de Moro



A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, encaminhou nesta sexta-feira (21) uma manifestação ao Supremo Tribunal Federal (STF) na qual pede pelo indeferimento do pedido de anulação de ação penal que condenou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a 9 anos e seis meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O novo pedido da defesa do ex-presidente foi baseado em supostas mensagens divulgadas pelo site The Intercept Brasil no dia 9 de junho que alegam que o então juiz federal e atual Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, teria se comunicado com o Procurador da República e coordenador da Operação Lava Jato em Curitiba, Deltan Dallagnol, por mensagens de texto.


Para a Procuradoria Geral da República (PGR), não existe embasamento que justifique o pedido de suspeição (ausência de imparcialidade) de Moro uma vez que a alegação da defesa tem base em fatos sobre os quais há dúvidas jurídicas. “É que o material publicado pelo site The Intercept Brasil, a que se refere a petição feita pela defesa do paciente, ainda não foi apresentado às autoridades públicas para que sua integridade seja aferida. Diante disso, a sua autenticidade não foi analisada e muito menos confirmada”, destacou a procuradoria em documento.


A manifestação também menciona o fato de não ter sido averiguada se as mensagens foram “corrompidas, adulteradas ou se procedem em sua inteireza, de comunicações entre os interlocutores”. Nesse caso, segundo a PGR, as mensagens possuem um “elevado grau de incerteza”, o que impede que sejam usadas como evidência da suspeição.

No documento, a procuradora-geral também se mostrou preocupada de que as supostas mensagens tenham sido obtidas de maneira criminosa. Nesse caso, elas poderiam ferir a garantia à privacidade das comunicações de autoridades como procuradores da República, juízes e membros do Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP). “Trata-se de grave e criminoso atentado contra o Estado e suas instituições que está sob a devida apuração pelos órgãos competentes”, diz a manifestação.

Globo pede desculpas ao vivo por veicular mentiras de Reinaldo e The Intercept sobre Moro





"Mentira tem perna curta"


Após a mentira ser desmascarada pelo Ministério Público, o jornal foi obrigado a se retratar e publicou uma notinha pedindo desculpas.

O jornal O Globo acaba de pedir desculpas aos leitores por seguir as mentiras do renegado jornalista paulista Reinaldo Azevedo, orquestrado pelo jornalista estrangeiro Glenn Greenwald, que atribuíam  aos procuradores da Lava Jato a substituição da promotora Laura Tessler no caso do triple, tudo por iniciativa do então juiz Sérgio Moro.



O jornal Zero Hora, que passou a mesma informação mentirosa, não se desculpou até agora.

O ministro Sérgio Moro tirou nota, esta tarde, para dizer que Greenwald e Reinaldo mentem descaradamente.





Leia aqui a nota de O Globo; 

O GLOBO errou ao informar que o ministro da Justiça, Sergio Moro, havia pedido a substituição de uma procuradora em arguição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no curso da Operação Lava-Jato.




Em mensagens de 2017 obtidas pelo site "The Intercept", Moro, então juiz da força-tarefa, apenas critica o desempenho de Laura Tessler. O atual ministro diz que Tessler é "excelente profissional, mas para inquirição em audiência, ela não vai muito bem". E pede ao procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa, que, "com discrição", "tente dar uns conselhos" e sugere um treinamento. A informação estava em reportagem sobre nova leva de mensagens do site "The Intercept", publicada nesta quinta, e que já foi corrigida. (O Globo)

-Jornalistas da extrema imprensa estão tão afoitos no afã de derrubar Sergio Moro, que acabam passando uma vergonha atrás da outra. -Pode rir leitor, você tem esse direito!

Veja também; 



PF descobre que invasão dos hackers a celular partiu de Santa Catarina, Rússia e até em Dubai, nos Emirados Árabes





De acordo com uma publicação da revista Isto É, a PF segue no encalço dos responsáveis pelo ataque aos celulares de integrantes da Lava Jato.

Desde que o site esquerdista The Intercept Brasil revelou a troca de mensagens entre o Juiz Sergio Moro e os procuradores da Lava Jato, a policia federal investiga os autores do ataque.


Ainda de acordo com a revista, a Polícia Federal planeja-se para, nas próximas semanas, tentar emitir uma contundente resposta ao que classifica de ação orquestrada perpetrada por criminosos de alto calibre.

A PF acredita ter se aproximado dos hackers que invadiram a privacidade dos procuradores e expuseram as vísceras da Lava Jato. Em investigações preliminares, os agentes da Polícia Federal já identificaram conexões no Brasil, em especial em Santa Catarina, e no exterior, com o suposto envolvimento de agentes na Rússia e até em Dubai, nos Emirados Árabes.


Segundo agentes ouvidos por ISTOÉ, a PF pode estar perto de alcançar os responsáveis pelo hackeamento ilegal, o que, se confirmado, constituiria uma bomba capaz de provocar uma reviravolta no caso.

“Há um movimento claro para anular condenações e impedir investigações”

“Um grupo organizado se valeu de métodos criminais para a quebra do sigilo de autoridades” Sergio Moro, ministro da Justiça

As pistas da principal linha de investigação levam à Rússia. É onde reside o americano Edward Snowden, notório aliado do jornalista Glenn Greenwald, dono do site The Intercept Brasil. Em 2013, Snowden se aproximou dos irmãos bilionários Nikolai e Pavel Durov, que criaram o Telegram, um sistema de comunicação por mensagens similar ao Whatsapp.


Existe a suspeita que Snowden possa estar por trás do esquema de bisbilhotagem e divulgação das mensagens de membros do Ministério Público Federal. Recentemente, Snowden elogiou o Telegram por sua resiliência na Rússia, depois que o governo proibiu o aplicativo e pressionou para que liberasse o acesso às mensagens privadas dos usuários. Na PF, há quem acredite que o americano refugiado na Rússia possa ter se valido de recentes contatos com os Durov para ter acesso aos diálogos envolvendo as autoridades brasileiras.

Insatisfeito com sucesso de Moro na CCJ , editor do The Intercept detona o Senado "Essa sessão do Senado não serve pra nada"



A participação serena do ministro da Justiça, Sérgio Moro, na audiência na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) do Senado Federal nesta quarta-feira (19), deixou a imagem do ministro ainda mais convicta entre os defensores da Operação Lava Jato.



Com declarações afirmando não se importar com os vazamentos (desde que se comprovem a autenticidade das conversas) devido a sua conduta em compromisso com as leis democráticas que sempre fora respeitado, Moro demonstrou ainda mais credibilidade e seriedade em seu trabalho no combate à corrupção, respondendo com clareza e objetividade os questionamentos dos senadores.

Apesar de alguns senadores "metralharem" o ex-juiz com tantas perguntas impossíveis de responder devido ao curto tempo destinado a resposta do ministro, esse método sempre foi a "cultura" da casa.

Já o editor-executivo do The Intercept, Leandro Demori, não fora capaz de compreender essa situação, adjetivando a participação de Moro no Senado de "formato péssimo". 

Em sua rede social no Twitter, Leandro declarou que a sessão "não serviu para nada".



Será que quando o jornalista americano Glenn Greenwald ocupar a mesma cadeira que ocupou Moro nesta última quarta-feira, sua participação terá a mesma irrelevância, uma vez que também receberá uma "chuva" de perguntas? Veremos. A audiência de Glenn no Senado está marcada para 1º de julho, data da próxima reunião do conselho.





Veja o tweet do editor-executivo do The Intercept criticando a audiência de Moro no Senado:






 Glenn Greenwald esta com “MEDO” de ser preso

Nesta quinta-feira (20), o jornalista do site “The Intercept Brasil”, Glenn Greenwald usou sua conta no Twitter para divulgar que já está trabalhando com outros jornalistas e revistas e que, caso queiram prendê-lo, teriam de prender muitos jornalistas. Em entrevista ao O Antagonista, o ministro Sérgio Moro respondeu ao apelo de Greenwald dizendo que não se prende jornalistas no Brasil.


Já estamos trabalhando com outros jornais/revistas no arquivo. Significa: 1) mais revelações serão reportados mais rapidamente; 2) ninguém pode alegar que a reportagem tem um viés ideológico; 3) quem quiser prender os que divulgar este material terá que prender muitos jornalistas”, disse Greenwald em seu Twitter.

Questionado por jornalistas sobre a declaração, o ministro Sérgio Moro disse que nenhuma autoridade falou em prender jornalistas.


“Não prendemos jornalistas. Ninguém nesse caso falou em prender jornalistas. Mais uma fantasia ofensiva, desta vez ao Brasil.”


Senador petista apavorado, vê Sergio Moro presidente do Brasil

Senador petista apavorado, vê Sergio Moro presidente do Brasil




"Moro na CCJ no Senado: entrou grande, está saindo gigante!"


O senador petista Humberto Costa, ao que parece, já está vivendo no Brasil do futuro.

Durante a sessão que conta com a presença de Sergio Moro, o petista se dirigiu ao ministro como “Senhor Presidente”.



-Pois é! é esse é o grande medo dos petralhas e de toda a esquerda, ver "Sergio Moro" ministro da justiça  como um possível candidato a presidência do Brasil apoiado por Jair Bolsonaro.

-Eu posso afirmar, que as chances são como tirar balinha da boca de criança. -É só esperar!


Ditador Maduro prende três fotógrafos brasileiros




Três fotógrafos brasileiros –Luan Soares Silva, Gabriel de Rezende e Diego Silva Veras– foram presos na cidade venezuelana de Santa Elena de Uairén, informa Duda Teixeira na Crusoé.


Os três faziam um trabalho para um veículo de comunicação brasileiro. Depois de encontrar um drone dentro do carro dos fotógrafos, a ditadura de Nicolás Maduro os acusou de espionagem.


Leia um trecho da reportagem ; 
Brasileiros são presos na Venezuela acusados de espionagem com drone


"Três fotógrafos brasileiros foram presos na tarde dessa segunda-feira, 17, na cidade venezuelana de Santa Elena de Uairén. Luan José Soares Silva, Gabriel de Rezende e Diego Silva Veras (na foto, da esquerda para a direita) estavam realizando um trabalho para um veículo de comunicação nacional. Foram detidos perto das 16h pela Guarda Nacional Bolivariana". 




Opá! Moraes defende que responsáveis por vazar mensagens de Moro sejam presos

Opá! Moraes defende que responsáveis por vazar mensagens de Moro sejam presos



O ministro Alexandre de Moraes, do STF (Supremo Tribunal Federal), defendeu hoje que os responsáveis por vazar mensagens trocadas entre o ex-juiz federal e hoje ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da força tarefa da Lava Jato, sejam presos.


Moraes argumentou que a autenticidade das mensagens precisa ser verificada e que elas não afetam a "importância histórica" da Lava Jato no combate à corrupção. O ministro deu uma rápida declaração sobre o assunto antes de palestrar em evento promovido pela emissora BandNews. 


"No atual momento temos que, primeiro, rapidamente apurar e prender os criminosos que invadiram comunicações de agentes públicos, colocando em risco a própria segurança dessas pessoas. Em um segundo momento, a partir do conjunto das informações, poderemos tirar algumas conclusões", afirmou o ministro.
Moro cada vez mais forte, professor de Harvard fala no ‘incrível escândalo que encolheu’

Moro cada vez mais forte, professor de Harvard fala no ‘incrível escândalo que encolheu’



"Sergio Moro, cada vez mais forte"


Matthew Stephenson, professor de direito em Harvard e autoridade na pesquisa sobre corrupção e política, publicou hoje em seu blog Global Anticorruption um longo texto –cuja íntegra, em inglês,  -sob o título “O Incrível Escândalo que Encolheu? Novas Reflexões sobre o Vazamento da Lava Jato”.

Nele, Stephenson escreve que, desde a publicação de seu primeiro texto sobre o assunto, sua opinião “sobre a reportagem de The Intercept mudou um pouco; tendo a pensar que esse ‘escândalo’ é consideravelmente menos escandaloso do que o Intercept relatou ou do que eu acreditava originalmente”.


Os argumentos do professor podem ser resumidos nos seguintes pontos:

1. Ele mantém sua convicção de que os diálogos vazados não tornam sem fundamento a condenação de Lula. Nenhum dos comentários ao seu primeiro texto, afirma Stephenson, “contesta seriamente a minha conclusão de que os textos (…) que apontam as supostas fraquezas jurídicas e probatórias do processo contra Lula mostrem algo além de advogados fazendo um bom trabalho ao se preparar para um caso difícil”.


2. O professor não está convencido de que as mensagens vazadas de setembro de 2018 “deem credibilidade óbvia” (como diz The Intercept) às acusações de que os procuradores da Lava Jato são “ideólogos de direita cuja missão primordial era destruir o PT e impedir o retorno de Lula ao poder”. Para Stephenson, até agora, nenhuma mensagem prova que a hostilidade a Lula e ao PT já existisse em 2015-2016, quando a investigação e o julgamento do petista começaram, tenha influenciado qualquer decisão real do Ministério Público ou tenha sido baseada em motivações ideológicas de direita. Aqui o professor de Harvard lembra que a Lava Jato atingiu pessoas de todo o espectro político, incluindo opositores políticos do petismo, como Michel Temer e Eduardo Cunha.


3. Stephenson agora acredita que talvez tenha sido “rápido demais” ao condenar como ilegítima por si só, em seu texto de quatro dias atrás, a troca de mensagens entre Sergio Moro e Deltan Dallagnol. Aqui, o professor chama a atenção para características estruturais do sistema de Justiça do Brasil:

“Parece que a maioria das mensagens privadas em questão, talvez todas, estava no contexto não da fase de julgamento, mas sim da fase de investigação –quando o procurador estava fazendo coisas como requerer mandados, intimar testemunhas etc., que o juiz tem de aprovar. Nesse contexto, procurador e juiz podem (na verdade devem) se engajar em comunicações secretas ‘ex parte’. E eu entendo, com base em alguns dos comentários que recebi, que essas conversas provavelmente são mais frequentes no Brasil do que em outras jurisdições, devido a certas características da lei processual brasileira que exigem que o juiz esteja mais envolvido na supervisão da fase de investigação.”


E mais adiante:

“O problema mais geral aqui é que, ao envolver o juiz tão fortemente na supervisão da investigação, o juiz pode começar a se identificar com a acusação e desenvolver um relacionamento excessivamente colaborativo com os procuradores. Isso pode realmente ser um problema, mas, se for esse o caso, não é tanto uma falha ética desse juiz [Moro] em particular (ou desses promotores em particular) quanto um problema estrutural do processo penal brasileiro”.

-Sergio Moro, cada vez mais forte. 
Na Esplanada dos ministérios, Militares incomodados e podem reagir

Na Esplanada dos ministérios, Militares incomodados e podem reagir






"Militares incomodados com a demissão de Santos Cruz"

A decisão de Jair Bolsonaro de demitir o general Santos Cruz incomodou os militares.

Um general ouvido pelo Globo afirmou que o presidente “sabe muito bem o quanto admiramos o chefe militar que é Santos Cruz”.


“Qualquer demissão no nível ministerial é uma mensagem ruim para todos os segmentos da sociedade. A de uma pessoa querida como Santos Cruz tem de ser lamentada.”

-O Presidente é Bolsonaro. 
Ele não é obrigado a manter ninguém para agradar os outros. 


-Bolsonaro é um Militar. Portanto, ele vem usando o que aprendeu no meio militar, "usa técnica militar", se não der certo, tem que ser substituído imediatamente. Bolsonaro tem razão. 

PF acredita que empresas de espionagem e até de serviços secretos estrangeiros roubaram as mensagens e milhões foram gastos



"PF acredita que empresas de espionagem e até de serviços secretos estrangeiros roubaram as mensagens e milhões foram gastos"

Os repórteres investigativos Fabio Serapião e Caio Junqueira revelam que o ataque desferido contra Moro e a Lava Jato provavelmente é fruto de uma ação hacker ampla e estruturada.

Mais: os investigadores suspeitam até do envolvimento de serviços secretos estrangeiros no episódio.

Leia um trecho da reportagem exclusiva:



A Polícia Federal instaurou ao menos quatro inquéritos para investigar os ataques. Além de ouvir pessoas e seguir informações de inteligência, a apuração vai periciar os celulares dos alvos para tentar encontrar vestígios que possam levar ao modelo de invasão utilizado e a autoria dos ataques. Embora os casos sejam apurados de forma individual, a suspeita da PF é que a ação tenha sido orquestrada. 

As linhas de investigação, até aqui, vão desde a ação solitária de um hacker à possibilidade de participação de empresas de espionagem e até de serviços secretos estrangeiros. A Crusoé, reservadamente, experientes investigadores da área de inteligência dizem acreditar que se trata de um trabalho feito por profissionais, à custa de muito dinheiro.


Não é só.


Outra reportagem, assinada pelo repórter Duda Teixeira, traz as histórias de Glenn Greenwald, do site The Intercept, que publicou as mensagens roubadas de Moro e dos procuradores. Greenwald se tornou a face aparente do vazamento das mensagens roubadas do Telegram.

Teixeira, da Crusoé, apresentou essa e outras questões ao próprio Greenwald. Confira:



Crusoé: Os diálogos publicados até agora só comprometem juízes e procuradores envolvidos em decisões desfavoráveis aos acusados da Lava Jato. Os que tomaram decisões favoráveis aos acusados da Lava Jato não apareceram no vazamento. As matérias também não comprometem ninguém da esquerda. Por quê? Há um direcionamento ideológico na publicação do material? (conteúdo O Antagonista)

Henrique Amorim que sempre defendeu lula dá a entender que Bolsonaro irá "morrer EM BREVE" (vídeo)





"Extrapola todos os limites de um jornalista de terceira categoria"



Há muito tempo o jornalista militante Paulo Henrique Amorim deixa clara sua posição em defesa dos corruptos, contra Moro e a Lava Jato.

Mas, em um vídeo publicado no Instagram, extrapola todos os limites ao desejar a "morte" de Bolsonaro.




Ele fez a seguinte pergunta; O Bolsonaro é Palmeiras, Botafogo ou ele é Flamengo? -Irônico, Amorim, cantou um trecho do hino do Flamengo. No final do deboche, o jornalista diz, "BREVE!".

O fato é grave e cabe a PF investigar mais a fundo essa declaração. 

-Me parece um aviso.

Veja o vídeo:








A mais lida; 






O recado de Moro estremece o STF: “Não vou pedir desculpas por ter cumprido o meu dever”
Gilmar está enlouquecido ao saber que hackers podem ter invadido dados do STF e acessado sistema em que prepara voto

Gilmar está enlouquecido ao saber que hackers podem ter invadido dados do STF e acessado sistema em que prepara voto



Depois de atacar duramente a Lava Jato nos últimos dias, o ministro Gilmar Mendes finalmente resolveu criticar o crime de invasão do celular de Deltan Dallagnol e roubo de mensagens privadas trocadas com Sergio Moro e integrantes da força-tarefa.

“Isso precisa [ser investigado], independentemente de quem se tratasse, são autoridades. E claro, acho que todos nós devemos nos preocupar com essa questão da segurança. De fato, é preciso tomar providências em relação a isso, isso é extremamente sério”, disse a O Antagonista.


O ministro parece ciente do risco de hackers invadirem também sistemas internos dos tribunais, nos quais juízes elaboram votos.

“Veja o tumulto que pode ocasionar uma invasão nessa área. Nós preparamos votos também no sistema, mas muitas vezes deixamos votos em elaboração e podemos mudar esse voto. Imagine o hackeamento ou a violação no meio da preparação de um voto. Isso pode ter resultados trágicos, passa a ter valor de mercado. Isso é muito grave.”


Em anos recentes, Gilmar foi flagrado em conversas com investigados da Justiça, como Aécio Neves e Silval Barbosa – conversas interceptadas legalmente. Em 2008, um grampo ilegal captou diálogo entre o ministro e o então senador Demóstenes Torres.