Em reunião vazada, Bolsonaro disse que usaria as "Forças Armadas" para evitar um golpe - Denúncia política

O lado oculto da política

Anúncio
Anúncio

Anúncio

Em reunião vazada, Bolsonaro disse que usaria as "Forças Armadas" para evitar um golpe



Agora pouco, o "jornal 21 Brasil" noticiou que o presidente Jair Bolsonaro usaria se preciso as "Forças Armadas" para evitar um golpe por conta do vírus chinês usado pela esquerda como ferramenta de ataques a toda hora. 

-Nesta terça-feira (12), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, pediu ao ministro Celso de Mello que rejeite um pedido de mandado de segurança que quer forçá-lo a instaurar um processo de "impeachment" na Câmara e limitar os poderes de Jair Bolsonaro. O documento, diz o seguinte; 
"é fato que o princípio republicano pressupõe a responsabilidade efetiva de todos, e o presidente da República não é exceção. Mas o impeachment é uma solução extrema: o primeiro juiz das autoridades eleitas numa democracia deve ser sempre o voto popular".


Por; jornal 21 Brasil
"Não adiantou, o vídeo foi vazado por quem assistiu.

Começou o vazamento da reunião do dia 22, onde Jair Bolsonaro disse que não aceitaria ser alvo de “impeachment” por causa da divulgação de uma “porcaria de exame” de Covid-19.


Segundo fontes que assistiram o vídeo da reunião calorosa, o presidente ressaltou que ele é quem "comanda as Forças Armadas" e as usaria se preciso "para evitar um golpe". -Tá certo!.


Um inquérito em tempo record foi aberto para apurar supostas interferência na polícia federal por parte do presidente Jair Bolsonaro. 


Tudo começo depois que o ex-ministro Sergio Moro em sua despedida sem avisar o seu superior, convocou a imprensa para acusar Jair Bolsonaro de interferir na polícia federal. O Procurador da República, Augusto Ares, sem esperar fatos reais,  imediatamente enviou um pedido para o STF, (Supremo Tribunal Federal), apurar as supostas irregularidades ditas pelo ex-juiz Sergio Moro.


Em seu depoimento a PF, no inquérito que tem como relator, o ministro Celso de Melo, conhecido por críticas á Jair Bolsonaro, Moro não imputou "crime" algum a Bolsonaro e deixou o STF de saia justa. 


Veja;  Ramagem em depoimento, enterra Moro de vez; "intransigente e insubordinado" "eu não fazia parte do núcleo de delegados da PF, próximo a Moro"


Valério Valeixo destrói narrativas de Sergio Moro "Não, pois seria necessária uma troca na rotina de trabalho estabelecida na Polícia Federal já há muitos anos"


Continua a reunião, [...].


Moro começa articular o golpe;

Agora pouco, o Antagonista noticiou que Sergio Moro, diante da fala de Jair Bolsonaro durante a reunião ministerial de 22 de abril,  Moro levantou-se da cadeira e deixou o local".

Ler completo na fonte; Jornal 21 Brasil
Anúncio
Anúncio