Relatório conclusivo da PF atribuiu a Rodrigo Maia os crimes de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e caixa dois em investigações baseadas na delação da Odebrecht, informa Fausto Macedo.






Segundo a PF, Maia –identificado como “Botafogo” na planilha da empreiteira– e seu pai, Cesar Maia, praticaram crime eleitoral ‘na modalidade ‘caixa 3’ ao apresentar apenas as informações de cunho estritamente formal das doações repassadas por empresas interpostas, quando o verdadeiro doador era o Grupo Odebrecht”.







O relatório também acusa o presidente da Câmara e seu pai de lavagem de dinheiro nas eleições de 2010 e 2014, para “legitimar o recebimento de valores indevidos com as doações eleitorais feitas pelo Grupo Petrópolis”. Maia vem negando as acusações.